Terremoto de 1755


Created on 02 Apr, 2024
Last Update on 02 Apr, 2024
Maintainer
pior_naum_fica

Em primeiro de novembro de 1755, um grande terremoto atingiu Lisboa. Se seguiu um grande maremoto e, finalmente, a cidade pegou fogo. Aproximadamente 50% da cidade tinha sido destruída e um terço da população havia morrido.

O que se seguiu foi um processo de reconstrução de Lisboa. Só que isso ocorreu sobre novas bases. Portugal entrou no Iluminismo. Saiu do pensamento da Contrarreforma e se transformou.

Portugal rompeu as fortes ligações com o Catolicismo. Os jesuítas foram expulsos de Portugal e do Brasil. Abriram-se espaços para transformações.

Esse fato preparou o Brasil para a independência. Quando Dom João VI chegou ao Brasil em 1808, o Brasil já estava liberto do pensamento religioso português. Já fazia mais de 50 anos que os jesuítas tinham deixado o Brasil.

Até hoje, o terremoto de 1955 e a chegada da corte de Dom João VI em 1808 são mal compreendidos. Mas foram decisivos para a formação do Brasil. São fatos que aconteceram de forma bem acidental para os brasileiros.

Um fato que alterou profundamente a economia do Paraná foi a forte geada de 17 para 18 de julho de 1975. Chegou a nevar bastante em Curitiba.

O que ninguém podia imaginar é que a economia do Estado do Paraná iria mudar tanto. A geada destruiu quase todos os pés de café.

A decisão foi drástica. Não dava mais para plantar café no Paraná. Os agricultores, que plantavam café, mudaram de estado. A maioria foi para Minas Gerais.

O café, como era plantado naquela época, era uma atividade de mão de obra intensiva. Como o deslocamento do plantio do café para Minas, a mão de obra foi junto. A população do Estado do Paraná diminuiu.

Em lugar do café, o Paraná investiu na soja. Que é um plantio muito mais tecnificado. E necessita muito menos mão de obra. Só que o mercado da soja é muito maior do que o do café. Soja entra na cadeia de produção de diversas proteínas animais.

Depois de 50 anos, a economia do Estado do Paraná está num novo patamar. Além de exportar soja, o Paraná está exportando proteína animal e alimentos processados.

A sua economia se tornou muito mais complexa. Os limites para o crescimento parecem muito mais largos. Tudo começou com uma inesperada geada muito intensa.

Estamos vivendo um momento singular. A queda da produção de soja na safra 2023-2024 deve ficar entre 30 e 40% do inicialmente planejado. De uma previsão de 165 milhões de toneladas, a safra de soja, no Brasil, deve ficar abaixo de 120 milhões.

Para complicar, a China está fazendo uma grande especulação nos mercados financeiros internacionais de commodities agrícolas. Por esse motivo, os preços estão despencando, com uma safra que vai ser bem menor do que o esperado.

Estamos vivendo um momento bem singular, de uma forma bem estranha. Todas as explicações são muito rasas. Não conseguem entender o que está ocorrendo.

Logo, daqui a algumas semanas, grandes transformações vão começar a ocorrer. O mundo vai descobrir que vai faltar comida.

Todo o mundo está investindo muitos recursos em aumentar a produção de armas. Mas ninguém está preocupado em aumentar a produção de alimentos.

Para isso acontecer, os preços dos alimentos vão explodir. O bushel da soja vai sair dos 11 dólares, que está hoje, e vai ultrapassar a barreira dos 20 dólares, talvez até ultrapasse os 25 dólares.

Carregados pela soja, os outros grãos, como o milho e o trigo, também vão subir de preço. O que vai dar um grande impulso na economia brasileira.

As exportações brasileiras vão subir de valor, apesar da quebra da safra, e o superávit da Balança Comercial deve passar dos 150 bilhões de dólares já neste ano. O que deve atrair uma avalanche de investimentos para economia brasileira, para aumentar a produção de alimentos. É a forma mais rápida de fazer isso.

Acidentes climáticos têm a capacidade de interferir profundamente no desenvolvimento da economia. Só que algumas vezes eles demoram para produzir resultados concretos.

Mas não é o que vai ocorrer dessa vez. O ciclo do el niño foi muito intenso em 2023-2024. E reduziu drasticamente a produção de soja no Brasil. O que vai reduzir muito os estoques de passagem de alimentos no mundo inteiro.


Replies

Comments